Lado a Lado: novo edital visa ampliar apoio para 30 instituições sociais

Lado a Lado: novo edital visa ampliar apoio para 30 instituições sociais

Sabemos que a pandemia está trazendo desafios extras para manter as atividades funcionando em várias Organizações da Sociedade Civil. Por isso, o Instituto Cyrela desenvolveu em 2020 um edital específico para a sustentabilidade das organizações nas três cidades em que atua: Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. No total foram 18 organizações contempladas, com prêmio de R$ 10 mil cada.

Em 2021, o Instituto quer ir além: serão 30 prêmios, de R$ 12 mil cada, com o mesmo objetivo de trazer fôlego para que instituições que realizam um relevante trabalho social possam continuar as suas atividades. Para isso, você pode nos ajudar a fazer a diferença: acesse nossas redes sociais ou ajude compartilhando esta notícia que está em nosso site, para que mais instituições tenham conhecimento deste edital. As inscrições podem ser realizadas até 12/03.

Confira a seguir depoimentos de instituições que foram contempladas em 2020:

“Quando chegou o edital, a gente ficou feliz, porque era um momento delicado financeiro para a gente, como para a maioria das entidades no Brasil no terceiro setor. E a gente viu a possibilidade de utilizar esse recurso para poder pagar os educadores. A gente fez um vídeo justamente sobre isso, explicando como a gente utilizaria o recurso para manter as atividades com as crianças e adolescentes que estavam remotas.

Como já era esperado, em função da pandemia caiu o número de doações e foram cancelados os eventos que a gente costumava fazer para arrecadação. Além disso, as necessidades da maioria das famílias em situação de vulnerabilidade social que a gente atende se agravou nesse período, então a gente precisou doar todo mês cestas básicas.

Recomendo com certeza a participação no edital, porque ele fez a diferença para a entidade e principalmente para as crianças e adolescentes atendidos, sobretudo nesse momento em que o país ainda se encontra, com o aumento dos casos e de mortes por COVID e com o cancelamento do auxílio emergencial.”

Almir Correa Domingos, gestor de projetos sociais na Chácara das Flores Eurípedes Barsanulfo, que atende 171 famílias e 244 crianças e adolescentes, dos 4 aos 21 anos.

“Até agosto, as demandas eram mais rapidamente respondidas, mas conforme a pandemia foi ganhando mais longevidade, as doações começaram a diminuir e as pessoas foram respondendo menos, então a gente começou a investir muito na busca por editais e a fazer oficinas de atualização para captação. Então quando veio o edital do Lado a Lado foi ótimo, porque a gente estava justamente naquela hora meio desesperançada, avaliando como fazer, qual o caminho que poderíamos tomar. Quando chegou a oportunidade do edital, a gente comentou: ‘puxa, a gente está fazendo uma coisa legal, que faz muito sentido e que a gente tem condições de se manter em pé’.

Estar todos os dias em atividade é muito importante para a gente enquanto grupo, mas principalmente para as pessoas que estão nessas conexões, porque a gente está olhando para o horizonte e não estamos vendo uma mudança tão rapidamente. Para se ter uma noção, o instituto serve dezenas de refeições todos os dias, mas se a gente levar 130 ainda ficam pessoas na fila, porque vários projetos foram diminuindo ou concluindo suas atividades e o instituto ficou como a única instituição regular na região. Regulamente, todos os dias, às 19h, servimos jantar ali na igreja. Então isso tem sido muito interessante, porque mesmo não tendo as demais atividades todos os dias que o instituto fazia até março do ano passado, a gente consegue estar à disposição das pessoas para algumas orientações e também para ser uma referência não só para refeição diária, mas também para alguns atendimentos dentro das especialidades que o instituto tem de oferta.

Além disso, contamos com um serviço de banho semanal para até 20 pessoas, porque inclusive isso ficou mais difícil para as pessoas. E essa população que está em situação de rua também mudou, tem muita gente que faz pequenos bicos durante o dia, mas não sobra dinheiro para comer ou elas optam por comer no lar para poderem levar um pouquinho mais de dinheiro para a casa. Então tomar um banho, mudar de roupa ou pegar roupa para a semana às vezes é a única condição que a pessoa tem de estar limpa. E tudo isso tem muito a ver com o edital Lado a Lado. A gente investiu 100% do recurso para a atividade de atendimento das refeições, desde álcool para higienização das mãos antes das refeições, até os itens de alimentação, água e demais materiais de higiene.

 Recomendo a participação no edital Lado a Lado por 3 motivos:

1º Porque é um edital lúcido. A gente não precisa reunir centenas de páginas de informações e documentos.

2º Porque é um edital totalmente transparente. A gente já sabe o que pode ou não pode e quem pode participar. O resultado sai na data combinada e os recursos chegam da forma como prevista.

3º É uma oportunidade para as instituições reverem seus projetos e sua proposta. Às vezes, as instituições têm um baita potencial, mas estão apresentando de forma muito complexa, não sabem muito bem como fazer ou não têm tempo.”

Marcia Florencio de Souza, psicóloga e voluntária do Instituto LAR – Levante, Ande e Recomece.

Nós temos duas unidades, com 10 crianças em cada, uma na zona sul e uma na zona oeste.

Para manter tudo isso, o custo operacional é relativamente alto por conta da folha de pagamento e das despesas operacionais, como água, luz, telefone e aluguel. As crianças recebem os cuidados desde atendimentos médico e psicológico, a escola, dentista, roupas, calçados, alimentação, passeios e cultura. Ou seja, a gente investe para que as crianças tenham de fato uma infância saudável.

Para tudo isso, o Lar faz até 3 eventos anuais para captação de recursos, incluindo o nosso maior evento que acontece em outubro. Mas quando começou a pandemia, em março, ninguém sabia o quanto iria durar. Passaram 2 ou 3 meses, as doações em dinheiro cessaram, até porque os doadores ficaram com receio do que também iria acontecer na vida deles. Mas a parte de alimentos não, houveram outras instituições que fizeram ações para arrecadação de alimentos e produtos de higiene que nos prestigiaram também, e a gente ficou abastecido durante o ano todo de muito material. Mas o dinheiro para as contas não, e as contas não param. As funcionárias precisam receber, há aluguel e tudo o mais e o Lar, em contrapartida, passou a pensar em como poderíamos arrecadar o valor necessário, então buscamos editais e chegamos no da Cyrela.

Para nós foi uma conquista, foi muito bacana termos sido um dos contemplados com o prêmio. As nossas despesas são superiores ao prêmio, mas ele compôs de forma muito bacana, porque era um valor que a gente não tinha e não esperava, então tudo o que surgisse era importante e ele compôs para as despesas do mês. O recurso realmente fez a diferença na ajuda que a gente teve no ano passado. Recomendo com certeza a participação no edital e, caso possamos, gostaríamos novamente de participar.

Dicas para gravar o vídeo de participação no Lado a Lado:

eu mesma gravei o vídeo, mas não é praxe, a gente que não trabalha diretamente com isso estranha ao gravar um vídeo, mas com toda disposição e desempenho eu mandei. Quando o objetivo que você pretende alcançar é maior do que a sua timidez na hora de gravar um vídeo, a gente tem que se calçar de segurança, incorporar uma figura que está transmitindo para os desconhecidos quem é você. Então foi nessa linha: ‘Eu quero ganhar, quero mostrar a nossa instituição, eu preciso passar um pouco para eles das nossas necessidades, do que a gente faz, de como somos nós’. A gente tem que ter o coração no foco e transmitir aquilo que realmente precisamos. E vale a pena, a gente transpira, mas você pode fazer vídeos de teste. Se não deu certo, para, volta, até ficar um vídeo bacana. Vale a pena treinar para tirar a timidez e mandar brasa. Agora onde precisar de um vídeo, eu já me sinto pronta. É importante estruturar o texto, o que você quer transmitir, rascunhar um início, meio e fim, e pôr o coração mesmo”.

Ana Cristina Villela Moniz, administradora do Centro Educacional e Profissional Vinicius

 

>> Saiba mais! Conheça o edital em: institutocyrela.org.br/lado-a-lado